sintonize em sua cidade:

últimas notícias

26
de Jan2017
Com Maia na corda bamba, governo tenta desestabilizar campanha de Jovair

Notinhas plantadas nos grandes veículos de comunicação sugerem que Temer e companhia têm medo do goiano

 

Nesta semana, uma enxurrada de notinhas nos grandes veículos de comunicação, como Folha de S. Paulo e O Globo, deram conta que o goiano Jovair Arantes (PTB) irá desistir da disputa pela presidência da Câmara Federal.

No eixo Rio-SP, planta-se de tudo: que ele assumirá o Ministério do Trabalho, que vai compor com o atual presidente e suposto candidato (suposto porque precisa de autorização judicial para concorrer), Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O governo do presidente Michel Temer (PMDB) tenta, a todo custo, esvaziar as outras candidaturas porque sabe, claramente, que o regimento é inquestionável: não existe reeleição no Legislativo brasileiro. A primeira vítima foi Rogério Rosso (DF), que viu seu próprio partido abandoná-lo. Ministro da Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab entregou o PSD a Maia.

A menos de uma semana da eleição, Jovair Arantes não tem nenhuma intenção de desistir, pois sabe que suas chances são reais. Embora a grande mídia noticie apenas que partidos apoiam o presidente à reeleição, não consegue ver que a base não participa (e, muitas vezes, não aceita) as articulações escusas que só beneficiam as próprias cúpulas partidárias.

O senador Aécio Neves (MG) diz que o PSDB fechou apoio a Rodrigo Maia. No entanto, um dos principais articuladores da campanha de Jovair é o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), que tem grande força junto ao Brasil Central — formado pelos estados de Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e Rondônia.

Em São Paulo — maior colégio eleitoral do país –, o governador Geraldo Alckmin tampouco tem interesse em fortalecer os adversários em 2018: Aécio Neves e José Serra (Ministro das Relações Exteriores), que disputam o passe do PSDB para candidatura à Presidência da República. Os dois apoiam Rodrigo Maia. Alckmin? Vai jogar em outro campo.

Por entender que Jovair Arantes é uma ameaça real e pode, sim, ganhar a eleição na Câmara, o governo Temer escalou a uma frente para tentar barrar a candidatura do goiano. Consta que é comandada pelo truculento articulador e ministro deposto Geddel Vieira Lima (PMDB-BA). A estratégia é tentar passar a ideia, na mídia, de que todos estão com Maia. E assim tem sido feito.

Experiente, o candidato do PTB tem feito uma verdadeira peregrinação por todo o país, se reunindo com quem realmente importa: os deputados. Enquanto isso, Rodrigo Maia comemora um desembargador derrubar a primeira — de muitas — liminares que pedem o impedimento de sua candidatura.

Ainda contra o presidente à reeleição pesa o fato de, mais uma vez, o Legislativo ser colocado nas mãos do Judiciário. Desde o ano passado, no imbróglio envolvendo o ex-presidente e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), uma guerra branca foi aberta entre os dois Poderes. Independente de cor partidária, parlamentares estão furiosos com a tutela de juízes e desembargadores. Dizem que Maia está pedindo ao algoz a corda para se enforcar. O governo Temer teme.

 

Fonte: Jornal Opção