sintonize em sua cidade:

últimas notícias

19
de Dez2016
Marconi e Iris desistem de ações mútuas na Justiça

O governador Marconi Perillo falou nesta quinta-feira (15) sobre a decisão dele e do prefeito eleito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), de desistirem mutuamente das ações que moviam contra si na Justiça. Com a assinatura do termo de desistência, as ações são arquivadas em definitivo.

“Iris e eu desistimos das ações porque queremos uma relação amistosa”, disse Marconi, que destacou ainda que “a primeira coisa que deve acontecer numa relação administrativa é o republicanismo e o respeito entre as pessoas”.

“O debate de ideias deveria se sobrepor à mesquinharia, às agressões injustificadas e injustas. O que procurei estabelecer com o prefeito Maguito Vilela, com o prefeito de Anápolis João Gomes, do PT, com o Paulo Garcia de Goiânia, do PT, e com todos os prefeitos de Goiás foi uma relação respeitosa, convergente, republicana e isso também fiz com todos os governos federais com os quais eu convivi”, afirmou.

“Eu e o prefeito Iris Rezende tomamos uma decisão, que partiu dele, de desistirmos de ações que um movia contra o outro. Julgamos que, para que haja uma relação amistosa, nós deveríamos dar esse primeiro passo – e demos”, disse Marconi, durante a 20ª edição do Governador Responde.

O termo de desistência afirma que ele e Iris “ajustam e acordam exclusiva e mutuamente desistir das ações judiciais em curso, cíveis e criminais, que promovem entre si, tanto no polo ativo quanto no polo passivo, em todos os graus de jurisdição”. O documento assinado por ambos diz ainda que eles “aceitam a desistência mútua, a fim de que o ajuste ora entabulado possa ser homologado judicialmente e extintos sem julgamento de mérito os feitos da tramitação.

O Termo de Desistência e Aceitação Mútuas de Ações Judiciais proposto por Marconi acorda ainda que ele e Iris arquem “cada qual com as despesas processuais dos advogados constituídos”, representados nas quatro ações ajuizadas pelo governador e pelo prefeito eleito. São três ações indenizatórias e uma queixa-crime, todas ajuizadas no Foro da Comarca de Goiânia.